danislau

O Danislau tá atirando pra tudo que é lado. Faz show, sozinho ou com banda. Anima aniversário. Tira a sorte no carteado. 

Em 1999, com os parceiros com quem trabalha até hoje, montou o Pau de Bosta, grupo de antimúsica performática. O conjunto fez sucesso estrondoso na família e entre os amigos da Universidade Federal de Uberlândia, mas o nome da banda, impublicável, pelo jeito estava fechando as portas do estrelato.

Aí veio o Porcas Borboletas. A mudança não surtiu grande efeito: as portas do estrelato continuaram fechadas. Mas o grupo gravou três discos, viajou por quase todos os estados do Brasil e, quem diria, fez algumas excursões para fora do país.

Em 2005, Danislau reuniu alguns poemas e lançou seu primeiro livro, O herói hesitante

 

Fez mestrado em Teoria Literária, pesquisando a biografia que o Leminski escreveu sobre o Bashô (o texto completo da dissertação está aqui). Continuou estudando. No momento, cursa o doutorado em Teoria Literária na USP.

De 2010 a 2014, escreveu mais de cem crônicas sobre Literatura, comportamento e arte pop para o Jornal Correio de Uberlândia.

Vive em São Paulo desde 2012, onde atua como professor de Literatura no Colégio CPV, no CPV Vestibulares e no Or College Israel.

Em 2015, lançou o faroeste Hotel Rodoviária, seu segundo livro. Para 2016, estão previstos os lançamentos da audioficção CARNIÇA, do primeiro disco do Barraca de Beijo e do quarto disco do Porcas Borboletas.