sound and vision

Presenças reptílicas perturbando o ânimo de meus passos. É preciso seguir em frente. Meus répteis internos, o bestiário brasileiro que me constitui, o calango pré-cambriano, a galinha de crista exuberante, as constelações de girinos, todo mundo gritando utererê enquanto eu me viro como posso para manter a qualidade da apresentação. 

Quem se apresenta é um portador de répteis imaginários, mas a educação vem sempre em primeiro lugar. Orquestra pessoal executando a Quinta de Beethoven ao contrário, sorrio como posso, e ainda sou capaz de algumas palavras em português.

Voltagem com que alimentá-los, meus répteis imaginários: 220 volts aplicados com austeridade. O desconcerto eu apresento como charme, porque é preciso dar um alô para essa moça de quem inevitavelmente me aproximo, dois metros a cada canção do bowie que o dj projeta pelo ar. Cigarro em atitude de desespero, levanta o olhar e me submete, diminui, encurrala, um olhar de estudo e desprezo. Lasquei-lhe um beijo na boca, mas quem lascou-lhe foi o calangão, porque eu mesmo em pause estupefato acabei por me manter absorto na curvatura absoluta do rosto da beldade. Como havia música, não foi preciso palavra.

No corredor dos fatos espontâneos, fomos dar na sala do piano, diante do qual acabamos nos sentando, a quatro mãos um amasso memorável, amasso musical – em terças e quintas, oitavas e sextas. Nossa música profunda: um mi que você despejou sobre meu dó, inclementemente.

A sala do piano abandonada em silêncio, o toc toc dos sapatos em fade out sobre o mármore rosa, a penetração do espaço do jardim. Par de botas deixadas para trás, jazendo sobre o gramado ao lado do meu sapatim de couro falseta, não é que se entenderam bem, os meus répteis e os seus?

Voltar pra música, pra festa, pra pista, foi um modo de experimentar o olimpo provisório da tranquilidade: o deleite da visão da compostura recém-adquirida, o alinhamento recuperado dos cabelos, o jeito de sorrir de longe e de permanecer distante. Que sarro! Meus répteis, enfim, podem dormir, pacificados.